Google+ Followers

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Ser presidente do Brasil é uma missão de Deus, afirma Bolsonaro


Candidato também disse que pensa em sair do país se perder as eleições

por Tiago Abreu


"Ser presidente do Brasil é uma missão de Deus"

Em entrevista dada à Revista Veja, o deputado federal Jair Bolsonaro declarou-se candidato à Presidência da República por um partido ainda não determinado. O político pretende deixar o PSC e encontrar uma sigla que abrace sua ideia de ser o chefe do Executivo nacional.

Questionado pela possível dificuldade de se candidatar por um partido nanico, Jair não mostrou preocupação. “As mídias sociais terão um papel muito forte nessas eleições. E se eu fizer uma campanha com meu dinheiro, sei que não vai ter margem empresarial”, disse.

Em seguida, afirmou que encara a empreitada como um mando divino. “Não estou fazendo isso por obsessão, eu entendo que o que acontece comigo é uma missão de Deus e ponto final. Se for a vontade de Deus, se for a missão dele, estarei pronto para cumpri-la”.

Jair também disse que não se preocupa com as mudanças de cenário caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não possa concorrer. “Vejo que a campanha de alguns candidatos é bater no Lula, mas resolveram bater no Lula depois que ele caiu em desgraça”, opinou.

O político também falou sobre suas impressões acerca da maior visibilidade da direita no país. “Até o ano passado, era só palavrão. Eu sempre falei que era de direita. E o que era direita? Era fazer o contrário do que o PT vinha fazendo”.

“Agora, como isso passou a ser bonito, muitas pessoas de partidos e de setores da imprensa botaram o PSC na direita e me colocaram na extrema direita. Chegaram a esse absurdo”, defendeu-se.

Por fim, confessou que pode ter outros planos para 2019, caso não for eleito. “No meu entender, se tivermos em 2019 um governo que seja do PT, do PSDB ou do PMDB, acho que vai ser difícil eu permanecer no Brasil, porque a questão ideológica é tão ou mais grave do que a corrupção”.

Fonte: https://noticias.gospelprime.com.br

domingo, 23 de julho de 2017

"Israel e seu povo testemunham a fidelidade de Deus", diz vice-presidente dos EUA

Em um discurso recente, Mike Pence citou a passagem bíblica em que Ezequiel profetiza sobre os ossos secos e destacou a superação de Israel.

Mike Pence é o atual vice-presidente dos Estados Unidos no governo Trunp. (Foto: Times of Israel)
Mike Pence é o atual vice-presidente dos Estados Unidos no governo Trunp. (Foto: Times of Israel)
Mike Pence disse que Deus impôs suas mãos na criação do Estado de Israel, enquanto ele homenageava o Estado judeu e se dirigiu ao grupo evangélico 'Cristão Unidos para Israel', durante o encontro anual da organização liderada pelo pastor norte-americano John Hagee, em Washington.

O vice-presidente também prometeu que o governo de Trump realmente fará a transferência da embaixada dos EUA em Israel de Tel Aviv para Jerusalém.

"De fato, embora Israel tenha sido construído por mãos humanas, é impossível não sentir que em toda sua história está a mão que veio dos céus", disse Pence.

O grupo 'Cristãos Unidos por Israel' é composto em grande parte de evangélicos e se reuniu em Washington na última semana para celebrar o que seus membros consideram uma administração mais alinhada com seus valores.

De acordo com o site 'Religion News Service', Pence emocionou o público presente, citando a visão do Profeta Ezequiel sobre os ossos secos (Ezequiel 37): "Ezequiel profetizou: 'Eis que farei entrar em vós o espírito, e vivereis".
"O Estado de Israel e seu povo testemunham a fidelidade de Deus, bem como os seus. Quão improvável foi o nascimento de Israel? Quão mais improvável foi sua sobrevivência e como contrariou todas as probabilidades, conseguindo prosperar?", lembrou ele em seu discurso.

Desde a fundação de Israel, Pence acrescentou, "o povo judeu impressionou o mundo com sua força de vontade e sua força de caráter".

Pence também prometeu que Trump não se esqueceu de sua promessa sobre a transferência da embaixada dos EUA para Jerusalém, uma medida que pode gerar protestos por parte dos palestinos.

"Não é uma questão de 'se'. É apenas 'quando' e como", disse ele ao comentar o assunto.


sábado, 22 de julho de 2017

Você abandonaria sua família por causa da sua fé?

LAOS

Cheu* é um cristão novo convertido que aceitou a Cristo depois que a esposa foi curada. Ele tem sido rejeitado pelos familiares por causa da decisão


Imagine-se na situação de um cristão perseguido: de repente sua família passa a lhe rejeitar por causa da sua fé. Você os deixaria para seguir a Cristo? Este é o dilema de Cheu, um cristão que vive em Laos, um país totalmente hostil ao cristianismo e que ocupa o 24º lugar na atual Lista Mundial da Perseguição. Um dos colaboradores da Portas Abertas conta a história dele em detalhes, após passar uma tarde com o cristão, numa de suas reuniões secretas.

“Cheu é um novo convertido de apenas 20 anos e que está sendo perseguido pela própria família, em que um dia ele encontrou conforto e amparo. Hoje, porém, ele vive momentos difíceis por ser rejeitado”, conta o colaborador. O jovem chegou a ser amarrado com cordas e apanhou do próprio irmão e de um tio. “Eles me disseram que preciso retornar à antiga fé e que devo negar a Cristo. Fiquei amarrado das 7 horas da manhã até 7 da noite. Doeu ouvir o que saiu da boca deles”, disse Cheu que é casado e pai de um bebê de 4 meses.

“Ele faz parte da tribo Hmong (grupo étnico asiático, também chamado de ‘povo da montanha’) e vive em uma das províncias de Laos. Um dia, um de seus parentes, que já participou de um aconselhamento pós-trauma da Portas Abertas, pregou a ele o evangelho e ele então se decidiu por Cristo”, conta o colaborador. “Minha esposa estava doente e nós fomos ver o xamã da nossa aldeia. Ele nos aconselhou a sacrificar muitos animais para que ela fosse curada, mas minha família é muito pobre e não conseguimos comprar tudo o que ele pediu. Foi quando meu tio Lha* orou por ela e minha esposa foi curada”, revelou Cheu. Aos poucos, o casal teve um relacionamento mais sólido com Jesus e, com isso, veio também a perseguição. (A história continua)

*Nomes alterados por motivos de segurança.

Fonte: https://www.portasabertas.org.br

sexta-feira, 21 de julho de 2017

Com ajuda de igreja, Dória inaugura abrigo de inverno para moradores de rua

O Programa Emergencial de Inverno (PEI) é uma parceria entre a prefeitura de São Paulo, a Igreja Adventista do Sétimo Dia e a iniciativa privada.

João Dória inaugurou abrigo para moradores de rua em SP. (Foto: UOL)
João Dória inaugurou abrigo para moradores de rua em SP. (Foto: UOL)
Na última quarta-feira (19), a Prefeitura de São Paulo inaugurou a primeira unidade do Programa Emergencial de Inverno (PEI), localizada no Canindé, região norte da cidade de São Paulo (SP).

A unidade será administrada inicialmente pela Igreja Advetista do Sétimo Dia, durante 40 dias. Além da parceria entre a prefeitura de São Paulo e a denominação cristã, a inauguração do PEI também se tornou viável devido à contribuição da iniciativa privada.

O Programa Emergencial de Inverno (PEI) tem como objetivo, abrigar os moradores de rua durante o inverno na capital paulistana.

Ao lançar a iniciativa, o prefeito João Dória e o pastor Domingos Sousa (presidente da Igreja Adventista do Sétimo Dia no estado), explicaram para a imprensa como será o funcionamento da unidade.

Segundo Dória, a ideia inicial desta parceria surgiu durante uma reunião do dia 24 de maio, quando administradores da denominação religiosa apresentaram ao prefeito os diversos tipos de projetos desenvolvidos por adventistas na capital.

“Nós já tínhamos tido uma reunião muito positiva há cerca de um mês com a direção da Igreja Adventista aqui em São Paulo, e a disposição do pastor Domingos foi de cooperar”, disse o prefeito. “A Igreja Adventista já tem experiência nesse tipo de trabalho”.

Pastor Domingos ressaltou que a Igreja Adventista compreende que é seu dever se colocar como instituição à disposição da comunidade.

O presidente da Igreja Adventista nas regiões norte e leste da capital, pastor Aguinaldo Guimarães, destacou também a disposição dos fiéis em ajudar.

“Em tão pouco tempo, já temos uma escala de voluntários para os próximos dias de atendimento”, afirmou Guimarães.


Contexto

Atualmente, só na cidade de São Paulo, existem cerca de 25 mil moradores em situação de rua e apenas 11,8 mil vagas em abrigos.

O Programa vai funcionar das 19h às 8h, atendendo até 460 pessoas. Mas de acordo com a Prefeitura, a partir do dia 26 de julho esta capacidade deve ser ampliada para um atendimento a mil pessoas por dia.

Apesar do caráter temporário do abrigo, a prefeitura afirmou que a unidade pode estender seu atendimento, caso frio intenso continue após o dia 30 de agosto - data estipulada para o término do PEI.


Doações

Além de administrar a primeira unidade do Programa Emergencial de Inverno, a Igreja Adventista vai abrir cerca de 800 pontos pela cidade, para arrecadação de agasalhos, água mineral, cobertores novos, sapatos e produtos de higiene.

“Nossas igrejas e escolas serão disponibilizadas para dar suporte a essa importante iniciativa”, informou o pastor Domingos Souza.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE NOTÍCIAS ADVENTISTAS

quinta-feira, 20 de julho de 2017

Pastor usa Uber para evangelizar passageiros: “No carro eles se abrem mais”

Um pastor decidiu ir além do púlpito da igreja para atrair pessoas para Cristo nas ruas de Nova York.

Kenneth Drayton usa Uber para evangelizar passageiros. (Foto: Angel Chevrestt)
Kenneth Drayton usa Uber para evangelizar passageiros. (Foto: Angel Chevrestt)
Um pastor decidiu ir além do púlpito da igreja para atrair pessoas para Cristo nas ruas do Brooklyn, em Nova York.

O pastor Kenneth Drayton, de 54 anos, transformou seu carro em uma ferramenta de evangelismopara os passageiros.

“O trabalho me permite abrir a porta para a vida aos meus passageiros”, disse Drayton, que muitas vezes vê suas viagens se transformando em salas de aconselhamento. “Minha esperança é iluminar o dia dessas pessoas e dar conselhos”.

A experiência religiosa acontece no momento em que o passageiro se senta no banco de trás. “Eu só deixo tocar música clássica, meu carro é impecavelmente limpo e eles podem sentir a presença de Deus”, disse Drayton.

Durante a viagem, os passageiros logo começam a compartilhar a vida com o pastor. “É aí que as pessoas começam a se abrir e onde entram as habilidades de escutar”, disse Drayton, que é líder da igreja Staten Island’s Christian Word of Hope Ministries.

Em suas viagens, o pastor encontra oportunidades de despertar fé nas pessoas em meio aos problemas. Certa vez, uma mulher contou ao pastor sobre seu filho desaparecido durante um passeio no centro de Brooklyn.

“Seu menino tinha desaparecido há cinco dias e ela estava tentando encontrar ele. Eu disse a ela: ‘Embora não tenhamos controle sobre uma situação, você tem que exercitar sua fé e sua paciência’”, ele lembra.

Outro homem revelou que estava à beira de perder sua empresa. “Ele estava no verde, mas de repente foi para o vermelho depois que entrou uma concorrente. Tudo o que eu pude dizer a ele foi para se envolver com a igreja e aprender a maneira de fazer as coisas de Deus”, conta Drayton. “Experiências como essas realmente me mantém”.

O pastor Drayton fica satisfeito ao ver o resultado de seu trabalho nas avaliações do aplicativo. “Todos os meus comentários são ‘excelente pessoa’, ‘grande conversa’ e ‘inspirador’. Mas eu acredito que o bom trabalho fala por si”, afirmou.

Até mesmo o Uber aprova a atuação do pastor Drayton. “Motoristas parceiros como Kenneth são a mágica por trás do aplicativo”, disse o porta-voz do Uber, Alix Anfang.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DE NEW YORK POST

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Mais de 1.000 adolescentes saem às ruas para evangelizar, na França

A ação evangelística fez parte de um grande encontro de oração pela França e que teve a participação do evangelista Nick Vujicic.

Adolescentes saem às ruas da França em ação da organização 'Bouge Ta France'. (Foto: Facebook)
Adolescentes saem às ruas da França em ação da organização 'Bouge Ta France'. (Foto: Facebook)
Na última sexta-feira (14) a cidade de Le Havre, no norte da França, sediou um grande encontro cristão, chamado "Bouge ta France" ('Mova sua França'). O evento levou milhares de evangélicos franceses a serem ministrados pelo evangelista Nick Vujicic e a orarem por seu país.

Na data em que também se comemora o Dia da Bastilha (Dia Nacional da França), 8 mil evangélicos se reuniram em um estádio para orar pelo país pela manhã e, à tarde, mais de 10 mil já esperavam pela ministração de Nick Vujicic.


Orando pela França
Esta incrível história começou há quatro anos, quando um grupo de cristãos que obteve decidiu organizar um evento juvenil e evangelístico. O dia começou com a famosa banda francesa 'Impact' e sua música de sucesso "Sola Gratia" ('Somente a Graça'), seguido de um sermão sobre o lema nacional "Liberté, égalité, fraternité" (Liberdade, Igualdade e Fraternidade), que inspirou a Revolução Francesa ao final do século XVIII (1789-1799).


Então na época, uma parte importante da manhã foi dedicada à oração, com Franck Meyer, prefeito e presidente do 'Comitê Protestante pela Dignidade Humana'. Os evangélicos ali reunidos oraram pelo país, pelas autoridades, contra o ódio e pela liberdade religiosa.

A fervorosa multidão participou ativamente daquele momento de oração e ainda hoje, os organizadores do evento estão mantendo firme a esperança de ver um despertar espiritual acontecendo na França - um país que atualmente tem sua sociedade extremamente secularizada.


Mais de 1.000 adolescentes evangelizando
De acordo com Patrick Dudas, presidente da Bouge ta France, o evento foi um sucesso em nível global e os organizadores treinaram mais de de 1.000 adolescentes que foram fortalecidos em sua fé para se engajarem em ações de evangelismo.


Os jovens participantes já haviam praticado os ensinamentos na tarde do dia 13 nos arredores de Le Havre, o que era um desafio para muitos deles, pois eles estavam fazendo evangelismo nas ruas pela primeira vez, mas os as pessoas nas ruas geralmente recebiam bem a iniciativa. Eles se concentraram em convidar as pessoas para o evento e ouvir a pregação de Nick Vujicic.


Prontos para compartilhar o Evangelho
Os organizadores disseram que ficaram satisfeitos pelo evento em todo o mundo - mesmo que as questões de segurança tenham sido mais complexas para lidar - e, em particular, as relações com as autoridades foram muito positivas. Os adolescentes agora estão prontos para ir às suas próprias cidades e continuar compartilhando a mensagem do Evangelho, e essa é a segunda parte do evento, com 40 projetos em todas as regiões da França, que serão implantadas até junho de 2018.


No dia 14, o evento Bouge ta France foi transmitido para algumas ilhas francesas no exterior. Muitos puderam ouvir a pregação de Nick Vujicic pela transmissão de vídeo.

FONTE: GUIAME, COM INFORMAÇÕES DO EVANGELICAL FOCUS

terça-feira, 18 de julho de 2017

Uma mulher de coragem

VIETNÃ

Cristã vietnamita compartilha seu testemunho e conta como é a vida da igreja num país onde o comunismo impera
10-brasil-esther-do-vietna
Esther* é uma cristã vietnamita perseguida, que esteve no Brasil dando seu testemunho, entre os meses de abril e maio, e deixou muitos exemplos de vida e também inspiração para a igreja brasileira. Ela e seu marido Daniel* já enfrentaram momentos difíceis por amar a Cristo. Em entrevista à Portas Abertas, ela conta um pouco da sua história.

Ao ser questionada sobre o maior desafio enfrentado pelos cristãos que vivem no país comunista, ela responde: “Manter a fé em Deus em meio à perseguição, porque é bem mais fácil ser apenas um cristão que vai à igreja. Porém, quando você se envolve de verdade, se coloca em perigo. Existem milhares de cristãos em qualquer país, mas ser cristão no Vietnã significa perder a vida”.

Ela também conta que a igreja antes do comunismo era muito fraca se comparada ao que é agora. “Naqueles dias era muito difícil alguém se tornar cristão, Mas hoje, quando você compartilha o evangelho, muitos o recebem. Deus usa situações ruins para mudar o coração de muitas pessoas”, explica. Você pode ler mais sobre a entrevista de Esther na Revista Portas Abertas deste mês, nas páginas 10 e 11. Se você deseja receber a revista mensalmente, clique aqui para mais informações.

Continue orando pela Igreja Perseguida no Vietnã, país que ocupa o 17º lugar na atual Lista Mundial da Perseguição. Por não negar o nome de Cristo, muitas famílias estão vivendo desabrigadas, perderam suas propriedades e enfrentam muita hostilidade tanto da sociedade quanto do governo.

*Nomes alterados por motivos de segurança.

Fonte: https://www.portasabertas.org.br